EntradaArquivo Atlas da cidade
apresentaçãoconversa leiturasentrevista Nuno Faria


ANA TOSTÕES
Professora Catedrática IST

Arquitecta (ESBAL,1982) e historiadora de arquitectura (UNL,1995), professora catedrática no IST-UL onde é coordenadora do Doutoramento em Arquitectura, é desde 2010 presidente do docomomo Internacional ( documentação e conservação do património moderno no mundo). Editora do docomomo Journal, durante o seu mandato o Docomomo passou de uma organização europeia para atingir uma dimensão global coordenando 74 países nos cinco continentes (www.docomomo.com).

O seu campo de pesquisa é a história da arquitectura e do urbanismo do século XX. Sobre estes temas publicou livros e artigos científicos, foi curadora de exposições e participou em júris, comités científicos e palestras em Universidades Europeias, Americanas e Asiáticas. Foi professora convidada na Universidade de Tóquio, École Polytechnique Fédérale de Lausanne, University of Texas at Austin School of Architecture, Rice School of Architecture de Houston, Escuela Tècnica Superior d'Arquitectura de Barcelona, Escuela Técnica Superior de Arquitectura da Universidad de Navarra (Pamplona).

Depois do volume Verdes na Arquitectura Portuguesa (ed. FAUP, 1997), distinguem-se as publicações Arquitectura Moderna em África: Angola e Moçambique (prémio Gulbenkian da Academia Portuguesa de História 2014) e Idade Maior, cultura e tecnologia na arquitectura moderna portuguesa (FAUP, 2015) galardoada com o Prémio da X Bienal Ibero-Americana de Arquitectura y Urbanismo 2016. Em 1994 recebeu o Prémio Municipal Júlio de Castilho de Olisipografia.

Foi membro do Conselho Consultivo do IPPAR, Vice-presidente da Ordem dos Arquitectos e da Secção Portuguesa da AICA. Em 2006 foi agraciada pelo Presidente da República com o grau de comendador da Ordem do Infante Dom Henrique pelo seu trabalho de investigação e divulgação da arquitectura.

Seleção publicações: Idade Maior (2015); Renovação e Restauro do Grande Auditório FCG (2014); The Buildings. Calouste Gulbenkian Foundation (2012); Pardal Monteiro, uma fotobiografia (2009); Arquitectura Portuguesa Contemporânea (2008); Lisboa 1758: The Baixa Plan Today (2008); Gulbenkian Headquarters and Museum, The Architecture of the 60s (2006); Arquitectura e cidadania. Atelier Nuno Teotónio Pereira (2004); Biblioteca Nacional. Exterior/Interior (2004); Arquitectura moderna portuguesa 1920-1970 (2003); Portugal: Architektur im 20. Jahrhundert (1998); Verdes na Arquitectura Portuguesa (ed. FAUP, 1997);Keil do Amaral, o arquitecto e o humanista (CML,1999); Keil do Amaral, arquitecto dos espaços verdes de Lisboa (Salamandra,1993).

 

Top