Sergio Fernandez, Madalena Vidigal, Duarte Belo e André Tavares
Porta33 > 27.01.2018

Madalena Vidigal (Lisboa, 1992). Conclui o Mestrado Integrado em Arquitectura na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (2016), sob a orientação do arquitecto Nuno Brandão Costa, com o título Rui Goes Ferreira. Ensaios sobre uma obra interrompida. Madeira 1956-1978.
No ano lectivo 2014/2015, realiza um intercâmbio académico na Academia de Arquitectura de Mendrisio da Universidade da Suiça Italiana onde foi aluna da cadeira de projecto com o atelier suíço E2a Architects.
Efectua um estágio curricular no atelier Lynch Architects, em Londres.
Colabora com a equipa de Summer School Porto Academy, projecto da editora INDEX Newspaper, como professora assistente tendo já participado na assistência aos ateliers de arquitectura SAMI (portugal), Jun Igarishi (Japão) e BAST (França), respectivamente nas edições de 2015 a 2017.
Em 2017, colabora pontualmente com a Baixa Atelier de Arquitectura, em Lisboa. No presente, conduz o Levantamento do Inventário dos Escritos do arquitecto Diogo Seixas Lopes, sob a coordenação de André Tavares e Patrícia Barbas.

Duarte Belo (Lisboa, 1968). Formação em arquitetura. Desde 1986 que trabalha no levantamento fotográfico sistemático da paisagem, formas de povoamento e arquiteturas em Portugal. Este trabalho continuado em mais de 700.000 quilómetros percorridos, deu origem a um arquivo fotográfico de mais de 1.450.000 fotografias. Publicou vários livros sobre o tempo e a forma do território português, de que se destacam: Portugal — O Sabor da Terra (1997-1998) e Portugal Património (2007-2008). Desenvolve atualmente projetos em suporte digital sobre Portugal. É editor do blog Cidade Infinita. Expõe desde 1987 e participa regularmente em conferências e mesas redondas em temas relacionados com paisagem, arquitetura, Portugal e fotografia, nomeadamente metodologias de registo e arquivo de imagem.

André Tavares (Porto, 1976). É arquitecto. Desde 2006, coordena a Dafne Editora, explorando a edição como uma forma de cultura e prática arquitectónica. Foi director do Jornal Arquitectos entre 2013 e 2015 e curador-geral, com Diogo Seixas Lopes, da Trienal de Arquitectura de Lisboa 2016, The Form of Form. No Museu de Serralves, foi curador das exposições Casa de Serralves: o cliente como arquitecto (2015) e Matéria-Prima: um olhar sobre o arquivo de Álvaro Siza (2016). É doutorado pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, onde completou em 2009 a sua tese sobre a presença do betão armado nas estratégias de projecto no início do século XX. Publicou vários livros, incluindo Arquitectura Antituberculose (Faup-publicações, 2005), Os fantasmas de Serralves (Dafne, 2007), Novela Bufa do Ufanismo em Concreto (Dafne, 2009), Duas obras de Januário Godinho (Dafne, 2012) e L'étoile filante Charles Siclis (éditons B2, 2016). O seu último livro The Anatomy of the Architecutral Books (Lars Müller/Canadian Centre for Architecture, 2016), explora as relações cruzadas entre a história da arquitectura e do livro.
Actualmente é pós-doutorando no instituto gta, da ETH de Zurique.

Sergio Fernandez (Porto, 1937). 1957-1965 trabalha com o Arquiteto Viana de Lima. 1959 - Congresso Internacional de Arquitetura Moderna (CIAM), em Otterloo, Holanda. 1965 - Arquiteto pela Escola Superior de Belas-Artes do Porto. Docente no curso de Arquitetura da ESBAP, a partir de 1974 e membro do Conselho Diretivo do curso a partir de 1975. 1988/1994 - Membro do Conselho Diretivo da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto. 1987/1992 - Diretor da Unidade Pedagógica da FAUP, em Viseu. 1990/1997 - Diretor do Centro de Estudos da FAUP. 1987/2006 - Membro do Conselho Científico da FAUP. Professor Emérito da FAUP, desde 2012. 1987/2005 - Professor na Escola de Arquitetura da Universidade do Minho. 2007/2014 - Membro da Comissão de Ética da Universidade do Porto. Orienta, no âmbito da FAUP, cinco dissertações de Doutoramento. Integrou júris de Doutoramento na FAUP, no Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, na Escola de Arquitetura da Universidade do Minho, no Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa, na Universidade de Évora, na Escuela Técnica Superior de Barcelona, na Escuela Superior de la Universidad de Madrid e na Delft University of Technology. Publica "Percurso – Arquitectura Portuguesa, 1930/1974", em 1985. Prefacia livros de vários Professores Arquitetos e publica diversos artigos em publicações científicas portuguesas e estrangeiras. Participa em inúmeros seminários, cursos, fóruns, colóquios, debates, conferências e congressos nacionais e internacionais na qualidade de orador, organizador e, ou, orientador. Exerce actividade profissional como arquiteto, em coautoria com Alexandre Alves Costa. Prémios "Diogo de Castilho", Coimbra 2009, "Associação Internacional dos Críticos de Arte", "Europa Nostra", 2010. Medalha de Ouro da Cidade de Vila Nova de Gaia.

Top