Conversa


Conversa sobre o Homem-Pikante

1ª parte / 2ª parte

Conversa sobre

O Homem-Pykante
Diálogos Kom Pimenta

um phYlme de Edgar Pêra
Kom Alberto Pimenta

 

PORTA33
Domingo — 31.03.2019 — 11:30h
Conversa com Edgar Pêra, Lúcia Evangelista e Manuel Rodrigues

“Um sorriso é mais barato que a electricidade e dá mais luz à mocidade"

O Homem-Pykante – Diálogos com Pimenta não é um documentário de homenagem, é um filme poético de celebração da obra de Alberto Pimenta, fruto de uma amizade e cumplicidade mantidas ao longo dos últimos 24 anos. Pimenta é um artista, "que se considera um "tolerado", no mesmíssimo sentido do termo administrativo com que eram designadas as prostitutas em Portugal até cerca de meados do século XX", como um dia escreveu. Alberto Pimenta, que divide os poetas em "tolerados" e "tolerantes", é autor de uma vasta obra poética e performática insubmissa e desafiante. O ponto de partida deste filme são os arquivos, filmados por Edgar Pêra entre 1994 e 2018, de performances, conversas e leituras de Alberto Pimenta, material cinético que foi depois objecto de pré-selecção pelo poeta Manuel Rodrigues e posteriormente montado por Pêra. O Homem-Pykante – Diálogos com Pimenta é um dos (muitos) resultados possíveis. Esta versão- balão-de-ensaio, concebida especialmente para o IndieLisboa, é única e irrepetível.

 

Projecção do filme:

Sábado — 30.03.2019 — 21h
Cinemas NOS do Fórum Madeira
uma organização Screenings Funchal

 



EDGAR PÊRA começa a sua carreira na década de 80 quando documenta a cena rock portuguesa em estilo neo-realista. A sua primeira longa-metragem foi "Manual de Evasão LX 94" que se torna um filme de culto onde é já notório o seu estilo peculiar e original. Em 2001 estreia "A Janela (Maryalva Mix)" no Festival de Locarno. Em 2006 o Festival Indie Lisboa dedicou uma retrospectiva ao autor e "Movimentos Perpétuos" arrebatou o júri valendo-lhe prémios em quase todas as categorias. Ainda em 2006 em Paris, Pêra vence o prémio Pasolini pela sua carreira, juntamente com Alejando Jodorowsky e Fernando Arrabal. Em 2011 estreia "O Barão" no Festival Internacional de Cinema de Roterdão, uma adaptação ao cinema da obra homónima de Luís Sttau Monteiro em estilo neo-gótico. Edgar Pêra é actualmente um dos mais prolíficos realizadores portugueses com centenas de trabalhos audiovisuais em nome próprio e um dos autores que continua a quebrar barreiras com o seu cinema. Neste ano de 2019, o Festival de Roterdão dedicou-lhe uma extensa e elogiada retrospectiva.

MANUEL RODRIGUES nasceu em Lisboa em 1959, licenciou-se em em Filosofia em 1984, pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, onde depois completou uma Pós-Graduação (1993) e um Mestrado em Filosofia Contemporânea (1996) com «Sophia momentanea - Criação e Liberdade na filosofia de Vladimir Jankélévitch», sob a orientação de Manuel José do Carmo Ferreira e de Joaquim Cerqueira Gonçalves. Depois de ter lecionado Filosofia, Psicologia e Sociologia no Ensino Secundário entre 1986 e 1992, foi regente de várias disciplinas na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em Torres Vedras e em Lisboa. Entre outras actividades, é ainda regente de Estética, com o curso anual Imagem e Semelhança/et in Arcadia Ego, no Ar.Co (Centro de Arte e Comunicação Visual) desde 1993

LÚCIA EVANGELISTA nasceu em Brasília, DF, Brasil em 1980, é Licenciada em Letras pela Universidade Federal do Ceará, Brasil. Mestre em Estudos Literários Culturais e Interartísticos na Universidade do Porto (2011) com a dissertação “Vida em comum: a poética de Adília Lopes”. Membro do Grupo Intermedialidades do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa e do Aesthetics, Politics and Knowledge Group do Instituto de Filosofia, ambos da Universidade do Porto. Desde 2016, é doutoranda em Estudos Literários, Culturais e Interartísticos, com um projeto dedicado à obra de Alberto Pimenta, sob a orientação da Professora Rosa Maria Martelo e da Professora Eugénia Vilela. É bolseira de doutoramento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

 

Top