UM GRUPO DE CIDADÃOS, RECONHECENDO A QUALIDADE DA OBRA DO ESCULTOR AMÂNDIO DE SOUSA, NASCIDO NO FUNCHAL EM 1934, DECIDIU PROMOVER UMA SUBSCRIÇÃO PÚBLICA DESTINADA À REALIZAÇÃO DE UMA OBRA DE SUA AUTORIA QUE SERÁ OFERECIDA À CIDADE DO FUNCHAL.

A exposição promovida pela Porta33 tem o objectivo de enquadrar e divulgar o propósito, surgido em Dezembro de 2016 por iniciativa de um grupo de cidadãos, de realizar uma subscrição pública para viabilizar a colocação de uma escultura de Amândio de Sousa na cidade do Funchal para o que foi criado o NIB001800034650065802045.

A escultura de Amândio de Sousa será colocada no Parque de Santa Catarina desta Cidade e conta com o apoio logístico da Câmara Municipal do Funchal. Trata-se de uma escultura em aço (3,80x3,80x3,80metros), com aplicação de cor e assente sobre uma fundação oculta.

Para o lançamento da subscrição pública e boa execução do projecto o grupo de cidadãos constituiu um núcleo promotor com o apoio manifesto de empresários, artistas, engenheiros, arquitectos, professores universitários e investigadores, entre os quais António Loja, António Marques da Silva, Ana Isabel Portugal, António Trindade, Duarte Caldeira, Danilo Matos, Idalina Sardinha, Isabel Santa Clara, José Júlio de Castro Fernandes, José A. Paradela, Marcelino Castro, Rita Rodrigues e Rui Campos Matos.

A Porta33 associou-se a esta iniciativa comunitária, destinada à valorização do património artístico do Funchal e que presta homenagem aos que, com a sua arte, dão ou deram o seu contributo para tornar esta cidade mais humana, promovendo a sua divulgação e organizando nas suas instalações, à Rua do Quebra Costas, uma exposição deste projecto para o espaço público e um conjunto de conferências associadas ao tema, nas quais participarão, entre outros, Nuno Faria (5 Maio), Duarte Encarnação (12 Maio), Samuel Meyler (19 Maio), Gabriela Vaz-Pinheiro (26 Maio) e Miguel von Hafe Pérez (2 Junho).

Ainda, durante o período da exposição de Amândio de Sousa, a Porta33 organizará outras iniciativas, destinadas ao público em geral, comunidade escolar, crianças e famílias. O programa produzido pelo Serviço Educativo da Porta33 pode ser consultado no site em www.porta33.com.

O programa completo pode ser consultado aqui.

 

Amândio de Sousa
Notas biográficas

            Nasceu no Funchal em 1934, e concluiu o Curso de Escultura na Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde foi aluno de Barata Feyo e de Lagoa Henriques. Tal como os elementos do grupo “Os Quatro Vintes” (Ângelo de Sousa, Armando Alves, Jorge Pinheiro e José Rodrigues), com quem conviveu, obteve a nota final de vinte valores.
            Participou na 24ª Missão Estética de Férias em Beja, orientada pelo Prof. Armando de Lucena (1961). Estagiou, no início dos anos 60, na fábrica Jerónimo Pereira Campos Filhos, em Aveiro, onde iniciou a prática de cerâmica o que, mais tarde, aproveitando a existência de uma olaria no Funchal, o levou a executar uma série de peças de barro vidrado. Mais tarde, estagiou no Centro Internacional de Escultura de Pero Pinheiro, onde executou peças em pedra, duas das quais estão no Centro Cívico e Cultural do Estreito de Câmara de Lobos.
            Exerceu funções docentes no Ensino Secundário, foi Assessor para os Assuntos Culturais (1976-1978), e Diretor do Museu das Cruzes (1977-2001). Abriu, em 1964, com o Arq. Rui Goes Ferreira, a Galeria de Artes Decorativas Tempo, onde se realizaram mostras de arte contemporânea.
            Esteve representado na exposição Horizonte Móvel. Uma perspectiva sobre as artes plásticas na Madeira —1960-2008, Funchal, Museu de Arte Contemporânea do Funchal, 2008, realizada no âmbito dos 500 Anos da Cidade do Funchal. Emfevereiro de 2016 apresentou Derivações na Ordem dos Arquitetos, Funchal, em colaboração com o Arq. Duarte Caldeira e, em dezembro do mesmo ano, integrou, com o pintor Jorge Pinheiro, a exposição Paralelamente, no MUDAS-Museu de Arte Contemporânea da Madeira.
            Tem trabalhos em diversos edifícios do Funchal (Clínica de Santa Catarina, Hotel Monte Rosa, casa do Dr. Semião Mendes), bem como escultura pública em várias localidades do país, nomeadamente uma figura feminina em bronze, hoje no Cais da Fonte Nova em Aveiro. Da colaboração com o Arq. Chorão Ramalho destacam-se o sacrário da igreja do Imaculado Coração de Maria e o relevo em betão para a entrada oeste do edifício do Centro de Segurança Social da Madeira (antiga Caixa de Previdência, 1970). Concebeu o mobiliário litúrgico para a Igreja do Carmo, em Câmara de Lobos, da autoria do Arq. Marcelo Costa e desenvolveu ainda  diversos trabalhos na área do design.
            Das peças escultóricas em espaços públicos na Madeira destacam-se:
1969 - Escultura comemorativa do 1º jogo de futebol na Madeira, Largo da Achada, Camacha.
1990 - Trilogia dos Poderes, bronze, Assembleia Regional da Madeira.
1994 - Justiça, Tribunal da Ponta do Sol.
2001 - Escultura comemorativa dos 500 anos da fundação do concelho da Ponta do Sol, betão e cascata de água.
2004 - Homenagem à diáspora madeirense, muro de cantaria com intervenção em cobre, Parque Temático, Santana.
            Foi distinguido com os seguintes prémios nacionais: 2º Prémio Secil de Escultura em Betão - Câmara Municipal do Porto (1992); 1º Prémio Secil de Escultura em Betão  - Câmara Municipal de Montijo (1994) e 3º Prémio Secil de Escultura em Betão - Câmara Municipal de Braga (1993).

 

Bibliografia

FREITAS, Emanuel Gaspar de, A obra de Raul Chorão Ramalho no Arquipélago da Madeira, Caleidoscópio, 2010, pp. 44-45 e118. 
SANTA CLARA, Isabel e MAGALHÃES, Vítor, Horizonte Móvel. Uma perspectiva sobre as artes plásticas na Madeira —1960-2008, Funchal, Museu de Arte Contemporânea do Funchal, Funchal 500 Anos, 2008.
SANTA CLARA, Isabel, “Amândio de Sousa, escultor”, Islenha nº 49, Jul-Dez. 2011, pp. 133-148.
SANTA CLARA, Isabel, Derivações, Funchal, Ordem dos Arquitetos - Delegação da Madeira, 2016.
SANTA CLARA, Isabel, Paralelamente. Jorge Pinheiro, Amândio de Sousa, Calheta, MUDAS - Museu de Arte Contemporânea da Madeira, 2016.
VERÍSSIMO, Nelson e SAINZ-TRUEVA José de, Esculturas da Região Autónoma da Madeira: inventário, Secretaria Regional do Turismo e Cultura, Direcção Regional dos Assuntos Culturais, Funchal, 1996.

 

 

IN RECOGNITION OF THE QUALITY OF WORK PRODUCED BY THE SCULPTOR AMÂNDIO DE SOUSA, BORN IN FUNCHAL IN 1934, A GROUP OF CITIZENS DECIDED TO LAUNCH A CROWD FUNDING CAMPAIGN SO AS TO DONATE A SCULPTURE CREATED BY THE ARTIST TO THE CITY OF FUNCHAL.  

The exhibition held by Porta33 has the aim of situating and disseminating the goal formulated in December 2016 upon the initiative of a group of citizens who sought to launch a public fundraising campaign enabling Amândio de Sousa’s  sculpture to be displayed in the city of Funchal. For this purpose, a bank account was opened (at Santander Totta, SA) under IBAN no. (PT50) 0018 0003 4650 0658 0204 5.

Amândio de Sousa’s sculpture, as may be seen in model illustrating this pamphlet, will be located in Santa Catarina Park in the city, the Funchal Municipal Council having already given its logistic support. The sculpture is in painted steel (3.80x3.80x3.80 metres) and rests on a hidden base. 

In order to launch the crowd fund  and make sure the project comes to good term, the group of citizens formed an organising committee  that has already received the clear support of business people, artists, engineers, architects, university teachers and researchers among whom are António Loja, António Marques da Silva, Ana Isabel Portugal, António Trindade, Duarte Caldeira, Danilo Matos, Idalina Sardinha, Isabel Santa Clara, José Júlio de Castro Fernandes, José A. Paradela, Marcelino Castro, Rita Rodrigues and Rui Campos Matos.

Porta33 joined this community initiative, which aims at enhancing Funchal’s artistic heritage, and paying tribute to all those who, with their art, are helping and have helped to make the city more humane. Porta33 is organising and publicising an exhibition about the project in its gallery in Rua do Quebra Costas open to the public. At the same time it is organising a series of talks about the topic in which the following participants, among other speakers, are:   Nuno Faria (5 May), Duarte Encarnação (12 May), Samuel Meyler (19 May), Gabriela Vaz-Pinheiro (27 May) and Miguel von Hafe Pérez (2 June).

For the duration of the Amândio de Sousa exhibition, Porta33 will be organising other events aimed at the general public, schools, children and families. The programme has been organised by the Porta33 Educational Department and may be consulted on our website  www.porta33.com.


PORTA33’s program can be found here.

 

Amândio de Sousa
Biographical sketch

He was born in Funchal in 1934 and completed his degree in Sculpture at the Oporto Fine Arts School where he studied under Barata Feyo and Lagoa Henriques. Similar to the other members in “The Four Twenties” Group (Ângelo de Sousa, Armando Alves, Jorge Pinheiro and José Rodrigues) with whom he was friendly, he was also awarded 20 marks out of a possible 20.
He took part in the 24th Aesthetic Mission Vacation in Beja supervised by Professor Armando de Lucena (1961). At the beginning of the 1960s he served an apprenticeship at the factory run by Jerónimo Pereira Campos, Filhos,  situated in Aveiro where he learned to make pottery. Later on, he was to take advantage of a pottery works that existed in Funchal to produce a series of work in glazed pottery. Later, he undertook an apprenticeship at the International Sculpture Centre located at Pero Pinheiro  where he produced stone sculptures, two of which are at the Civic and Cultural Centre in  Estreito de Câmara de Lobos.
He worked as a secondary school teacher, was a Cultural Affairs Assessor (1976-1978) and the Director of the Quinta das Cruzes Museum (1977-2001). Together with the architect Rui Goes Ferreira, he opened the Tempo Decorative Arts Gallery in 1964, holding contemporary art exhibitions.
He was represented at the exhibition Horizonte Móvel. (Mobile Horizon - A perspective of the plastic arts in Madeira —1960-2008, Funchal, at the Funchal Contemporary Art Museum, 2008, held on the occasion of the 500th anniversary of the City of Funchal. In February 2016, together with the architect Duarte Caldeira,  he presented Derivações (Derivations) at the Funchal Association ofArchitects, and in December the same year, together with the painter Jorge Pinheiro, he took part in the exhibition Paralelamente (In Parallel) at the Madeira Contemporary Art Museum – MUDAS.
His sculpture appears in several buildings in Funchal (St. Catherine’s Clinic, Monte Rosa Hotel, Dr. Semião Mendes’s residence) and well as in public places in various spots in Portugal, mainly his bronze feminine figure seen today on the Fonte Nova Quay in Aveiro. Resulting from his joint work with the architect, Chorão Ramalho, we may single out the sacrarium of the Church of the Immaculate Heart of Mary and the concrete base relief at the entrance of the building that houses the  Madeira Social Security Centre (formerly  occupied by the Caixa de Previdência, 1970). He designed the liturgical furnishings of the Carmo Church in Câmara de Lobos whose building plan was drawn up by the architect  Marcelo Costa and he produced several other pieces of work in the field of design.
Out of his sculptures situated in public places in Madeira, we may mention:         
1969 – Commemorative sculpture of the first football match played in Madeira, in Achada Square, Camacha.
1990 – Trilogy of the Powers, bronze, Madeira Parliament.
1994 - Justice, Ponta do Sol Court house.
2001 – Commemorative sculpture of the 500th anniversary of Ponta do Sol becoming a municipality, in concrete with a waterfall.
2004 – Tribute to Madeira’s Diaspora, stone wall with copper workings, in the Santana Theme Park.     
He was awarded the following Portuguese prizes: 2nd Secil Prize for Sculpture in Concrete – the Oporto Municipal Council (1992); 1st Secil Prize for Sculpture in Concrete – the Montijo Municipal Council (1994), and 3rd Secil Prize for Sculpture in Concrete – the Braga Municipal Council (1993).  

References
FREITAS, Emanuel Gaspar de, A obra de Raul Chorão Ramalho no Arquipélago da Madeira, Caleidoscópio, 2010, pp. 44-45 e118. 
SANTA CLARA, Isabel e MAGALHÃES, Vítor, Horizonte Móvel. Uma perspectiva sobre as artes plásticas na Madeira —1960-2008, Funchal, Museu de Arte Contemporânea do Funchal, Funchal 500 Anos, 2008.
SANTA CLARA, Isabel, “Amândio de Sousa, escultor”, Islenha nº 49, Jul-Dez. 2011, pp. 133-148.
SANTA CLARA, Isabel, Derivações, Funchal, Ordem dos Arquitetos - Delegação da Madeira, 2016.
SANTA CLARA, Isabel, Paralelamente. Jorge Pinheiro, Amândio de Sousa, Calheta, MUDAS - Museu de Arte Contemporânea da Madeira, 2016.
VERÍSSIMO, Nelson e SAINZ-TRUEVA José de, Esculturas da Região Autónoma da Madeira: inventário, Secretaria Regional do Turismo e Cultura, Direcção Regional dos Assuntos Culturais, Funchal, 1996.
VERÍSSIMO, Nelson e SAINZ-TRUEVA José de, Esculturas da Região Autónoma da Madeira: inventário, Secretaria Regional do Turismo e Cultura, Direcção Regional dos Assuntos Culturais, Funchal, 1996.

Top