A IMPORTÂNCIA DA LINHA / THE IMPORTANCE OF THE LINE
Exposição
Curadoria de Nuno Faria


Inauguração: Quarta-Feira, 12 de Junho, 18 h
Seguida de conversa com Diango Hernández e Nuno Faria

A IMPORTÂNCIA DA LINHA é a primeira exposição individual de Diango Hernández (DH) em Portugal.
A linha, que liga o espaço bidimensional ao espaço físico em que existimos, atravessa os diferentes elementos que integram a exposição, entre desenhos encontrados, objectos, fotografias ou elementos arquitectónicos. A linha como fronteira e limite, mas igualmente como articulação entre a origem e o futuro das coisas. A Diango Hernández interessa o potencial de realização do desenho (elemento axial no pensamento do artista cubano) enquanto forma utópica de intervenção na realidade. "Diria que um desenho é o ponto onde passado e futuro negoceiam o presente. Um desenho é um momento de dúvida mas igualmente um momento definidor" (DH).

Diango Hernández nasceu em 1970, em Sancti Spíritus, Cuba. Formou-se em Design Industrial na Instituto Superior de Design de Havana (ISDI). Após terminar os estudos, em 1994, criou o colectivo "Ordo Amoris Gabinete", inspirado nas palavras em latim para "ordem" e "amor". O trabalho de Diango Hernández foi apresentado na 51ª Bienal de Veneza (Arsenale, 2005), Bienal de São Paulo (2006), Bienal de Sydney (2006), Kunsthalle Basel (2006), Haus der Kunst em Munique (2010), Hayward Gallery em Londres (2010) e uma retrospectiva no MART-Museo di Arte Moderna e Contemporanea di Trento e Rovereto, Italia (2011). Diango Hernández vive e trabalha em Düsseldorf, Alemanha.

É representado pelas seguintes galerias: Alexander and Bonin, NY / Capitain Petzel, Berlin / Marlborough Contemporary, London

Nuno Faria nasceu em 1971 em Lisboa, formou-se em História da Arte pela Université Libre de Bruxelles. Foi professor do Curso Avançado de Fotografia do Ar.Co – Centro de Artes e Comunicação Visual e do Curso de Artes Visuais da Universidade de Faro. Escreveu na Revista História – Jornal de Letras, foi subdirector do Instituto de Arte Contemporânea, actual Instituto das Artes. Foi consultor e curador residente do Serviço de Belas Artes da Fundação Calouste Gulbenkian. Viveu e trabalhou no Algarve entre 2007 e 2012 onde, entre outros projectos, fundou (em Loulé no ano de 2009) o projecto Mobilehome - escola de arte nómada, experimental e independente. Mais recentemente, foi o curador da exposição Para além da história (2012), que inaugurou o Centro Internacional das Artes José de Guimarães. Actualmente prepara para aquele Centro de Arte a exposição Lições da Escuridão (a inaugurar em Julho próximo).

Top