Hear Here 2002
Vídeo, PAL, cor, som, loop

O artista tomou como ponto de partida conceptual para este vídeo o facto de a propagação do som ser mais lenta do que a da luz, ilustrado por um fenómeno que nos é familiar, a trovoada. Com efeito, a distância da trovoada em relação ao ponto do espaço onde nos encontramos pode ser medida pelo tempo que medeia entre a luz emitida pelo relâmpago e o som correspondente. No vídeo, um plano negro vai sendo interrompido por um flash de luz (um único frame branco), seguido, com pequenos intervalos variáveis, por um disparo sonoro e, imediatamente a seguir, por uma legenda que indica a distância espacial (em milhas) entre um e outro. O desfasamento temporal entre a luz e o som representa a hipotética posição do flash em relação ao espectador. Quando, em dado momento, a luz e o som se sincronizam, surge em legenda o título “hear here” (ouve aqui) para significar a ocorrência do fenómeno no ponto em que se encontra o espectador.

Top