1 JUNHO
Sábado das 11h às 12h

- Destinatários: Famílias com crianças dos 3 aos 6 anos (1 adulto por criança)
- Horário: das 11h às 12h
- Lotação: 12 crianças + 12 adultos
- Preço: 7 € (criança+adulto)
- Atividade sujeita a inscrição prévia

INSCRIÇÕES ABERTAS
porta33@porta33.com
+351 291 743 038 | +351 91 616 57 20
Rua do Quebra-Costas 33 Funchal


Quantas vezes nos sentimos um ponto no meio da imensidão? E quantos vezes imaginamos que esse ponto está ligado a tudo à nossa volta através de mil e um outros pontos? Um Ponto que Dança é um livro que explora a imaginação figurativa e abstracta para contar o percurso e o movimento da vida de um ponto: conta as suas danças de pequeno até adulto, os desafios para encontrar um lugar no mundo e finalmente, a sua liberdade.

Através do livro Um ponto que dança, esta oficina aborda a imensidão do movimento, desde o mais pequeno e quase invisível como um piscar de olhos ou o dobrar do dedo mindinho, até aos enormes como o movimento das nuvens no céu. Esta oficina convida assim a uma viagem de expressão corporal e plástica através da ideia do ponto.



Sara Anjo nasceu na primavera de 1982 na ilha da Madeira, na terra dos funchos, planta da qual se fazem rebuçados. Assim teve uma infância doce nessa cidade chamada Funchal e que tem a forma de um auditório. Habituou-se a ver diariamente o espectáculo das nuvens a dançarem no céu e no mar as ondas a transformarem-se em carneirinhos quando o vento soprava com muita força. Inspirada por esse espectáculo decidiu dedicar-se à dança, a arte de pôr os corpos e as coisas em movimento.
Um dia ganhou coragem mergulhou nas águas profundas do Oceano Atlântico, apanhou as correntes rápidas do mar e foi viajar e dançar por outras terras. Desde então navega à deriva, segue a força do vento e das marés, às vezes perde o norte, mas sabe que sempre que chega a uma sala de espectáculos ou de oficinas, chega a bom porto.

Tem desenvolvido peças para a infância, onde trabalha a relação entre imaginação figurativa e abstracta. Nesse contexto criou e interpretou Procuram-se Pés de Bailarina, em colaboração com  Teatro do Silêncio (2013); Tudo no Mundo Começou com um Sim, uma colaboração com o compositor e pianista Filipe Raposo (Fábrica das Artes - CCB, 2016) e as Estrelas Lavam os Teus Pés (Fábricas das Artes CCB 2018).

Top